14 coisas que aprendi com os meus alunos

1 – A consistência é a chave de tudo

Não interessa o número de vezes que tentar aprender alguma coisa e a forma como o fazes até pode ser irrelevante. O mais importante é seres consistente no teu processo. 

O Bruno tem um trabalho exigente e horários loucos. Em 2021 foram-lhe atribuídas ainda mais funções no trabalho, mas ele não deixa de estudar inglês TODOS os dias de forma autónoma e todas as semanas me envia dúvidas e perguntas. É lógico que a sua evolução tem sido brilhante.

2 – O trabalho vence o talento

Podes ter um QI acima da média e ter um aptidão natural para aprender línguas ou um excelente cálculo mental, mas se não fizeres nada com esses talentos, ficas exatamente no mesmo sítio. Garanto-te que o teu empenho é o diferencial no teu resultado e não o teu “talento” natural.

3 – Ri-te de ti próprio

Eu dou aulas de inglês em Jardim de Infância e isso tem-me ensinado a não ter medo do ridículo, a não ter medo de rir de mim ou que se riam de mim. Conto histórias, faço vozes, conto piadas, uso a minha imaginação, visto-me de bruxa no Halloween, uso camisolas ridículas no Natal, canto mesmo sem saber cantar, danço e faço as mais ridículas figuras. 

E isso tem sido muito libertador. Recomendo vivamente e não só com crianças.

4 – Não erraste? Estás a trabalhar pouco e/ ou mal!

Todos os dias falo com pessoas que têm vergonha de falar inglês, que têm receio de falar mal e eventualmente fazer “uma triste figura”. 

Quero falar-te do Pedro. O Pedro não fala bem inglês, mas isso não o impede de fazer o que quer que seja. Ele viaja sozinho, ele vê vídeos e lê livros, ele faz vídeos em inglês. Ele não quer saber se dá erros ou não, e não se preocupa com o que os outros vão pensar dos seus erros. Ele tem um objetivo: comunicar as suas ideias. E esse objetivo é alcançado de forma brilhante. 

Se não estás a errar, isso quer dizer que te estás a expor pouco, que estás na tua zona de conforto. E na zona de conforto, não há crescimento relevante ou progresso digno de nota.

5 – Sozinho não tem graça

É muito importante que sejamos capazes de aprender de forma autónoma, mas é essencial termos uma comunidade que nos apoie nos momentos de maior frustração e para ajudar com as dúvidas.

6 – Aprende com os melhores

Muitas vezes os alunos têm receio de não “estar à altura” do seu professor ou do grupo de alunos a que pertencem e preferem “nivelar” por baixo para não se sentirem frustrados. Mas a verdade é que sem desafios e sem desconforto não existe crescimento e evolução. 

Deixa-me falar-te da Ana, que durante algum tempo participou num grupo de iniciação, mas que claramente precisava de um desafio maior. Lancei-lhe o desafio de experimentar o grupo de continuação e correu muito, muito bem. Houve momentos de desconforto? Claro que sim. Mas esses são necessários para nos desafiar e para nos motivar também. 

Ou seja, junta-te a pessoas que são melhores do que tu para que estas te possam desafiar e ajudar a crescer.

7 – Correu mal? Tenta de novo!

Tiveste uma apresentação em inglês e houve alguma atrapalhação? Tive uma entrevista de emprego em inglês e não conseguiste comunicar como desejavas? 

Encara estas situações como um treino intensivo e aproveita esse “alerta” para te dedicares ao inglês e estares preparada para a próxima oportunidade. 

O Paulo foi chamado “repentinamente” para uma entrevista de emprego e não se sentia preparado para enfrentar esse desafio. Pediu-nos ajuda e fizemos uma preparação intensiva que o deixou tranquilo para enfrentar aquela entrevista e as seguintes. 

Sala de aulas Saber Interactivo

8 – O tempo chega para o que quiseres

“Não tenho tempo.” É a frase que mais dizemos e que ouvimos, certo? Mas todos temos 24 horas para gerir, certo? 

Volto a falar-vos do Bruno. O Bruno trabalha imenso, faz viagens pelo país a visitar clientes, acompanha os seus filhos nas atividades extracurriculares, mas estuda quase todos os dias. Como? Ele estuda em pequenos períodos de tempo de 10, 15 ou 20 minutos durante o dia numa pausa do trabalho. E os resultados dessa disciplina e consistência estão à vista.

9 – Aprender é divertido

Mais uma vez, vou falar-te dos meus alunos mais pequeninos. Eles deliram com tudo o que é novidade, absorvem conhecimento sem questionar e aprendem brincando e com gosto. 

Portanto, aprender é divertido e traz momentos de grande entusiasmo resultado de uma curiosidade que não termina. Vamos voltar a ser crianças?

10 – Ter paixão pelo que fazemos é essencial

A paixão é contagiante, concordas? Eu adoro o que faço e acho que essa é uma das minhas melhores qualidades. E acho que isso contagia os meus alunos e faz com que aprendam com mais facilidade.

11 – A empatia é uma estrada com duas faixas

A experiência já me ensinou que é essencial haver empatia no ambiente de aprendizagem para que o aluno se sinta relaxado e tranquilo e assim disponível para aprender. 

Mas a verdade e que é também é importante que os alunos sejam empáticos com a professora para que uma verdadeira relação de aprendizagem seja construída e a professora possa encontrar apoio em dias mais desafiantes. 

Muito obrigada a todos os meus alunos pela sua empatia e pela sua amizade em todos os momentos.

12 – Celebra as tuas vitórias (as grandes e as pequenas)

Conseguiste falar com um turista na rua? Tiveste uma apresentação em inglês e passaste a tua mensagem? 

Celebra esta vitória, faz uma pausa, alegra-te e partilha com os outros. É importante que tenhas estes momentos de celebração para que vás tendo noção do teu progresso e dos resultados do teu esforço.

13 – Descansar é essencial

Já sabemos que a consistência e o trabalho regular são importantes, mas não te esqueças de descansar. O cérebro precisa de pausas para se regenerar, para fazer “reset” e até para consolidar o que foi aprendido.

14 – O melhor ainda está para vir

Há sempre novos objetivos para atingir, novas metas para conquistar e isso é ótimo, não é?

A cada dia, a cada mês, a cada ano tens a oportunidade de aprender mais e de melhorar. E isso é ótimo, não é? A mim alegra-me saber que posso melhorar todos os dias. E também que a cada dia posso aprender mais e arranjar melhores soluções para os meus alunos.

Porque o melhor ainda está para vir! Está atento!

Outros artigos

dicas para o Natal

7 DICAS PARA UM NATAL TRANQUILO

À medida que o Natal se aproxima a ansiedade e a agitação crescem nos corações dos mais pequenos da casa. A chegada do Pai Natal, a reunião da família, os doces e, claro, os presentes.

Ver

Fale Connosco